Quem poderá calcular o calor e a violência
De um coração de poeta...
                                             Quando preso no
Corpo de uma mulher?


Virginia Woolf
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!