'Eu poderia escrever uma carta e rabiscar um coração,
mas há vento demais num á de suspiro.

Então, guardo o suspiro na boca, preso por dentes e,
quando não mais agüento
assopro bolinhas de sabão.'



Rita Apoena
5 comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos!