sexta-feira, 13 de abril de 2018


Quem me leva os meus fantasmas
Quem me salva desta espada

Quem me diz onde é a estrada
Quem me leva os meus fantasmas
Quem me leva os meus fantasmas

Quem me salva desta espada
E me diz onde é a estrada






Maria Bethânia

(…) 
Mas a noite é imensa, quer dizer: a noite do lugar e do tempo, a noite da nossa solidão — é imensa, e apenas um pequeno órgão vivo palpita algures, vibra rapidamente, e amortece-se, e desaparece.
Então, uma vez mais a noite se levanta de nós, e o que estremece é a carne, a nossa, cega e desamparada — mas fremente na sua cegueira e desamparo.

Sabes que estás só? — pergunta a carne à carne —, sabes que a noite se ergueu de ti, como se fosses o seu próprio e único talento, e que esse talento te cerca como uma atmosfera, o morto clima que transportas em ti, de um lado para outro, ao longo das pedras, ao longo de todos os lugares do homem?

Ela sabe, ou pelo menos sabe que sabe.
E é demasiado.
Por isso, olha e espera.
(…)



Herberto Helder

domingo, 11 de março de 2018


as vezes ainda tenho sede de ti 







Al Berto

Uma saudade não está a uma distância das coisas, mas em uma súbita fração de nós, num quebrar de alma em que todas como coisas se afundam.




Vergílio Ferreira

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Me respire.



"Preencha a boca com a boca. 

Me respire. 

Coloque um fim para mim. 

Faça-me novo novamente "






- Peregrino


domingo, 25 de fevereiro de 2018

— e tremíamos.


Arrancava-te as horas como pregos.
Depois ficávamos deitados a observar os animais brancos.


Não sabíamos nada. 

Não tínhamos nada.
Apenas soprávamos a cana da loucura 


— e tremíamos.





Vasco Gato

Sei de amores.


Sei de amores. 


Dos que se transformam em pedra e dos amantes cujos corpos florescem em árvores entrelaçadas. 

E dos que para sempre jazem de mãos dadas no mesmo túmulo. 


Sei de amores.





Manuel Alegre



*E sei de amores, que para continuar sendo, necessitam não mais ser....

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Lembrete à pressa:


" - A vida não é um cavalo, 

não se pode obrigá-la a avançar

 à chicotada."




 Gorki

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018


Alguma coisa me consome
Fumo de mais
Bebo de mais
Morro de menos




Heiner Müller

domingo, 18 de fevereiro de 2018


estava ali, casa arrumada
ar condicionado ligado, 

até abrir a janela:

voaram certezas para todos os lados



A. S.


é tão fácil amar lugares
que não existem




recordar praças e pontes e travessas
onde nunca morremos por ninguém




quartos na penumbra de estores corridos
sobre a sonolência dos gatos em agosto
onde nunca chegámos atrasados




o tampo de mármore de mesas de café
onde as nossas mãos não se esconderam
por alguém ter entrado antes de nós




é tão fácil lembrar nomes e rostos e destinos
e colocá-los em nossos ombros e festejar com eles
as luminosas horas em que a vida
nos rodeava a cintura como um amante possessivo
e nós repetíamos o nome das cidades
onde nada disso tinha acontecido




é tão fácil assim
dizer adeus
sabendo que deus nem sequer assiste
à despedida



Alice Vieira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...